Políticas públicas (por Nicolly de Paiva Ferreira)

Os recortes das Políticas Públicas dentro do grupo raça e história foram feito para elucidar que a violência (em todos os aspectos) aos grupos enfocados é promovida também pelos meios burocráticos do Estado. Com as estatísticas apontadas na apresentação, podemos perceber que a  participação desses grupos que serão reparados a partir da formulação de algumas Políticas Públicas, não ocupam os espaços legais onde há a possibilidade de se tornarem atores das mesmas, não podendo participar de nenhuma etapa do Ciclo de Politicas Publicas, ou seja tais estatísticas comprovam que não há representatividade dentro da legalidade para grupos marginalizados e com minoria de direitos conquistados.

A crítica às formulações e aos atores envolvidos, se relaciona com os outros recortes por abordar que a legalidade histórica brasileira e o contexto atual são dominados pela supremacia branca masculina, causando muito arbitrariedade e pouca eficiência nas medidas compensatória para os grupos marginalizados abordados – negros e índios -, tornando notório o resultado e o reflexo de discriminação intensa durante anos de segregação racial e um passado escravocrata.

Os textos fornecidos ajudaram na construção e na ilustração das ideias desenvolvidas a partir do recorte escolhido, como o capítulo Raça e História da obra, de Lévi Strauss, que aborda as questões estruturais do significado de raça e as diversas interações a cerca dos significados dados a esta classificação. Outros textos e dados foram usados também para condensar as ideias e informações gerais e especificas dos assuntos abordados, como o site do Senado que disponibilizou dados sobre a representatividade dessas minorias abordadas no GT. Especificamente nesse recorte, os textos fornecidos não se relacionam diretamente com o recorte de representatividade nos ambientes burocráticos, a construção dessa analise foi feita a partir de textos independentes do planejamento do curso também.

Um GT que se relacionaria muito bem, seria o de gênero, pois aborda também um sistema que segrega grupos e cria hierarquias entre tais, e sua legitimação pelo Estado é feita de forma parecida com o que ocorre com negros e indígenas, ou seja, se relacionam por mostrarem esses sistemas vigentes no contexto atual brasileiro materializados pelo Estado Democrático de Direito. Além de ser interessante um recorte sobre as mulheres negras, pois são atravessadas diretamente por tais sistemas.

Referências:
LÉVI-STRAUSS, C. “Raça e História” in Antropologia Estrutural II

Quem formula as Políticas Públicas?
http://agenda21comperj.com.br/noticias/atores-sociais-os-responsaveis-pelas-politicas-publicas

Anúncios